DOR NAS COSTAS? MUSCULAÇÃO NELA!!!

Esta DOR também é chamada principalmente de DOR NAS COSTAS, DOR LOMBAR ou LOMBALGIA. Além destes nomes existem outros sinônimos usados popularmente como LUMBAGO, DOR NA CINTURA, COLUNA TRAVADA e até o exótico ESPINHELA CAIDA.
A dor nas costas na população em geral é de 60 a 80% da população adulta acima dos 30 anos deverá se queixar de dores nas costas algum dia. A maior incidência é dos 35 aos 55 anos. Estes números podem apresentar alguma variação dependendo do tipo de estudo realizado. Após os 60 anos a incidência da dor decresce.
A prevalência é semelhante entre homens e mulheres oscilando respectivamente entre 70 e 80%.
A Primeira crise de dor nas costas geralmente surge por volta dos 30 anos de idade. (É estimado que nos Estados Unidos, 6 milhões de pessoas sofrem desta dor diariamente).
Um aspecto interessante é que na mulher, após os 60 anos a dor nas costas pode ser mais freqüente devido à osteoporose pós menopausa. Lembrando que uma das atividades físicas mais indicadas para osteoporose e osteopenia (salvo em casos especiais e contra-indicação médica) é a MUSCULAÇÃO.
As curvaturas da coluna vertebral do homem servem para dissipar as forças verticais que nosso corpo sofre e dissipar o cansaço gerado pela posição em pé que por muitas vezes ficamos, por um ou por outro motivo, em tempo demasiado. Mas em contra-partida, a posição sentada, principalmente errônea, durante um tempo prolongado, também gera dores nas costas, ombros e pescoço.
Calcula-se que a cada 20 anos perdemos cerca de 1,25 cm de altura por conta dessas forças que nos atinge. Durante o dia as muitas agressões que fazemos à coluna com horas na posição sentada e mais a ação da gravidade induzem a migração dos líquidos do núcleo dos discos intervertebrais para os corpos das vértebras contribuindo com a diminuição dos espaços entre as vértebras. Cerca de 12 a 15 cm da altura total da coluna vertebral vem desses espaços intradiscais (MORAES 2008).
Além desse mal que afeta todos nós impreterivelmente, podemos ainda ressaltar dores, principalmente lombares e cervicais, inchaço nas pernas, varizes a médio e a longo prazo, entre outros. Todos esses problemas são gerados pela ação da gravidade.
A importância do período de sono durante a noite é muito grande não só para a reconstrução muscular, principalmente para aqueles que fazem um treinamento de musculação na área de hipertrofia, e “recarga das baterias” do nosso corpo, pois, a migração dos líquidos do núcleo dos discos intervertebrais para os corpos das vértebras é contrária, mas infelizmente, não total, daí o fato de irmos diminuindo nossa estatura ao longo dos anos.
Alguns problemas internos podem ocorrer decorrentes desse fator que discutimos até o momento associado à falta de exercícios físicos. Entre muito outros ressaltamos os seguintes: A cintura pode ficar maior com acúmulo de gordura localizada sem que a pessoa tenha necessariamente engordado. Os órgãos internos começam milímetro a milímetro a se deslocar da sua posição funcional ou ficar comprimidos e por isso passam a funcionar mal. Não é raro problemas de vesícula, rins e intestinos por conta dessa situação. A circulação sanguínea de retorno também fica prejudicada por conta da dificuldade da passagem pelo centro do corpo.
Um teste simples para saber se “a coisa já está feia”, é perceber se você tem dificuldades de abaixar para pegar algum objeto no chão ou se você precisa sentar na cama para colocar as calças, pois, não consegue coloca-la em pé. A perda de altura e aumento da cintura invariavelmente resulta na perda de flexibilidade do tronco.
A grande maioria das pessoas ao sentar, sentam totalmente em posição errada, automaticamente relaxam a musculatura do peitoral, abdome e quadril que se contrapõem aos músculos das costas, que junto com os paravertebrais “pagam à conta sozinhos” na tarefa de manter o corpo ereto. Por si só a posição, se comparada a estar em pé ou deitado é a que mais sobrecarrega os discos intervertebrais chegando de 150 a 250% por conta da ação da gravidade e a postura inadequada assumida (MORAES 2008).
Provavelmente ninguém nunca sentou no sofá da sala e ao invés de prestar atenção no costumeiro jogo de futebol ou novela da TV, ficou pesando em quantos movimentos somos capazes de realizar com nosso coluna vertebral... para não termos todo esse trabalho perder o gol de algum jogador importante no nosso time do coração em resumo apresento: flexionamento para você pegar algum objeto no chão ou local mais baixo, hiperextenção ao lançar a bola com as duas mãos, inclinação  para os lados e rotação. Tudo isso graças aos músculos paravertebrais, eretores da espinha, grande dorsal, rombóide que vai das costelas às escápulas sendo importantíssimo na postura, os da cintura escapular, os do pescoço protegendo a coluna cervical e alguns outros, todos amparados pelos da frente do tronco.
Existem alguns exercícios resistidos (musculação) que são mais conhecidos para o fortalecimento da musculatura das costas e coadjuvantes, são eles: as remadas e suas variações, as puxadas pela frente, por trás e a tradicional puxada na barra fixa, o crucifixo invertido, a elevação dos ombros com variações e a extensão do tronco. Outros exercícios como levantamento terra e os destinados à coluna lombar podem ser perigosos e só devem ser executados por alunos avançados e muito bem orientados. De qualquer forma as séries, a carga, o descanso e o método a ser utilizado de acordo com o objetivo de cada aluno devem ser sempre prescritas por profissional de Educação Física habilitado. No mais, é usufruir desses exercícios e saúde e manutenção da coluna vertebral, pois eles garantem uma boa postura sem dores nas costas e uma aparência mais bonita.
Ressalto dois importantes tipos de exercícios que muitas vezes é negligenciado pelos alunos das academias que são os temidos abdominais a conhecida compensação que nada mais é do que um fortalecimento da musculatura localizada na parte lombar das costas. Um abdome forte e bem treinado, com certeza irá diminuir e muito as dores na região lombar.
Mas não se desesperem!  Na grande maioria dos casos a dor nas costas tem um caráter benigno e a sua recuperação é apenas uma questão de dias ou semanas e a pessoa pode retornar ao trabalho e treinos com segurança.
Com uma certa freqüência ela pode retornar periodicamente através de crises de intensidade variável.
Somente através de um correto tratamento preventivo é que se evitam estas crises repetitivas.
A PREVENÇÃO É A CHAVE PARA O SUCESSO.
Previna-se da dor nas costas, muitos alunos que chegam em nossa academia reclamam desse mal e em pouco tempo depois, com um treinamento específico e muito bem orientado por profissionais altamente qualificados estão apresentando melhoras consideráveis e sem dores nenhuma!

Aviso importante aos meus queridos alunos e leitores – Quem perde noite de sono em festas deve antes de qualquer compromisso no dia seguinte descansar e dormir para recuperar a coluna. É um erro chegar muito tarde e levantar cedo para treinar ou mesmo trabalhar. Os discos intervertebrais podem não estar restaurados e surgir dor num movimento funcional do dia a dia um pouco mais brusco.

MUSCULAÇÃO bem orientada por profissionais de Educação Física capacitados e habilitados você encontra aqui na IMPACTO MUSCULAÇÃO! Venha nos fazer uma visita, estaremos de portas abertas para recebê-los.

 

 

Prof. Esp. Carlos Eduardo Sampaio Verdiani
CREF 020282-G/SP
Graduado em Educação Física e Pedagogia
Pós-graduado Latu Sensu em Fisiologia do Exercício e Educação Física Escolar
Vencedor do prêmio de MELHOR PROFISSIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO ANO pelo
Conselho Regional de Educação Física do Estado de São Paulo - CREF 4
Vencedor do prêmio TOP FIEP pela Federação Internacional de Educação Física - Itália
Ex-preparador Físico da Seleção Brasileira de Karatê
Licenciado pela ANDE-BRASIL

 

 
© COPYRIGHT 2010 Todos os direitos reservados